Tag: profissão

O que Bob Esponja ensina sobre trabalho

Bob Esponja no trabalho

Bob Esponja é um dos melhores desenhos animados que eu já vi, mas um episódio me chamou atenção pela lição que pode dar sobre trabalho: o Bem vindo ao Balde de Lixo (Welcome to the Chum Bucket). Nesse episódio, o Sr. Sirigueijo, patrão do Bob Esponja no Siri Cascudo, perde o contrato dele no jogo de cartas para o Plâncton, seu concorrente e dono da lanchonete Balde de Lixo.

Uma das características do Bob Esponja, que eu acho interessantíssima para o público do desenho, é amar trabalhar e acordar feliz de manhã por ter que ir ao Siri Cascudo fazer o famoso hambúrguer de siri que ele faz como ninguém. Todo mês, ele é o funcionário do mês. Mas, nesse episódio, ele não tem escolha e terá que trabalhar na lanchonete concorrente.

O seu novo patrão fica muito feliz, pois agora têm o “segredo” do sucesso do concorrente. Essa consciência de que o sucesso da empresa são as pessoas ainda é o que falta em muita empresa de verdade.

Bob Esponja robôApesar de ter o Bob Esponja trabalhando para ele, o Plâncton simplesmente não consegue extrair do novo funcionário o excelente trabalho que ele fazia na empresa concorrente. Todo o estímulo e alegria que o Bob Esponja tinha no Siri Cascudo não acontece no Balde de Lixo e, em tentativas desesperadas, Plâncton o agrada de todas as maneiras: dá comida, diversão, presentes, muda todos os itens da cozinha de lugar… Nada adianta, nem mesmo roubar o cérebro (leia-se “conhecimento”) do Bob Esponja e colocar em um robô. O segredo do sucesso não estava nem mesmo no conhecimento, mas na atitude positiva que o Bob Esponja tinha em relação ao Siri Cascudo, ao seu patrão Sr. Sirigueijo e ao seu colega Lula Molusco.

Bob Esponja e PlânctonSem entender o que acontecia com Bob Esponja, Plâncton se irrita e diz: “Mas eu não entendo. Você tem a chapa, a espátula e a cadeira confortável. E eu limpei os seus pés!”. E, então, numa das cenas que eu mais gosto do episódio, Bob Esponja vê o luminoso da cozinha do Balde de Lixo e com uma expressão triste diz: “O luminoso diz ‘cozinha’, mas meu coração diz ‘prisão’.”

Então, como o Sr. Sirigueijo consegue fazer do Bob Esponja o segredo do seu sucesso mesmo sendo tão pão duro? Para quem assiste o desenho, é fácil responder: o segredo está no patrão que valoriza o funcionário e reconhece que precisa dele para ter sucesso, mesmo sem pagar um salário alto e dar mil vantagens.

Às vezes, uma empresa pode perder seu melhor funcionário pelo simples fato de não ouvi-lo e de não fazê-lo sentir que suas ideias e opiniões têm valor. O dinheiro é muito importante, mas, para os seus melhores colaboradores, ele pode estar em segundo lugar.

Mudança na carreira: Até Bruce Dickinson duvidou do próprio potencial

Bruce Dickinson do Iron Maiden

A falta de confiança e de ousadia para tentar construir uma nova carreira profissional pode acontecer com qualquer um, até mesmo com aqueles que já conseguiram enorme sucesso. Quem diria que Bruce Dickinson – vocalista de uma das maiores bandas de heavy metal do mundo, o Iron Maiden – se achava estúpido demais para pilotar um avião?

Mesmo gostando de aviões desde a infância, o vocalista achava que devia continuar focado em seu sucesso como rock star em vez de se aventurar por outros ares. Hoje, ele é piloto profissional da companhia Astraeus Airlines e pilota um Boeing 757 fretado nas turnês do Iron Maiden, levando toda a banda e equipamentos dos shows.

Confira a entrevista dele feita no Brasil em 2011 durante uma visita ao Museu TAM.

Buscar novas experiências, conversar com profissionais de áreas relacionadas à sua ou de áreas totalmente diferentes, fazer cursos de línguas, música… Nunca é tarde para experimentar tudo que puder e fazer uma mudança radical na carreira. Ou quem sabe ter duas carreiras, como Bruce Dickinson!

Dia do Publicitário

Hoje, 1º de fevereiro, é o Dia do Publicitário e não podia deixar esta data passar em branco, já que temos duas publicitárias aqui no blog \o/\o/

john-travolta-word

Eu, particularmente, tive bastante dúvida no momento de escolher o curso na inscrição do vestibular. Pensei em Educação Física, Letras, Jornalismo… e acabei marcando o fatídico 12B na inscrição da UFC (código do curso de Comunicação Social – Publicidade e Propaganda na Universidade Federal do Ceará). Em paralelo, fiz prova para Administração na UECE (Universidade Estadual do Ceará) e Turismo no IFCE (Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Ceará). Como já havia sido aprovada em Publicidade e Administração, acabei desistindo da segunda etapa do vestibular de Turismo, mas tive que optar por um dos dois cursos em que havia sido aprovada, já que não podia ocupar duas vagas públicas no mesmo semestre. Aí vocês já sabem qual foi minha escolha, claro! Publicidade na veia \m/

Com a Lahisla, foi bem diferente. Ela conta, aqui na página Quem Somos, que decidiu bem cedo que queria ser publicitária.

Ao ingressar na faculdade e principalmente no mercado de trabalho, percebemos que nem tudo é um mar de rosas. Ou de criatividade. É bem verdade que essa profissão, assim como tantas outras, é subestimada. Rotineiramente somos “substituídos” pelo “sobrinho” do cliente e estamos sujeitos à subjetividade e bom senso dele para aprovar o que construímos com base em estudos e experiências.

ficou-bom-mas-falta-aquele-tcham

Às vezes é frustante, não vou mentir. Bate aquele devaneio hipotético: “e se eu tivesse feito outro curso?”. No meu caso, busco conhecimento complementar na área da Administração para preencher esse – digamos – vazio. No mais, seguimos aquela máxima que diz: “a gente se f***, mas se diverte”. Não há alegria maior para um publicitário do que ter seu job aprovado!

job-aprovado-criancas-japonesas

Há, sim: a de ter seu trabalho devidamente reconhecido :’) E dizem que não tem muito segredo para chegar ao sucesso: tem que gostar do que faz e dedicar-se. Então, se você gosta da profissão que escolheu, mergulhe fundo na segunda etapa 😀

“Uns sonham com o sucesso, nós acordamos cedo e trabalhamos duro para consegui-lo” – Abílio Diniz.