Tag: felicidade

Sim, sou feliz fazendo dieta

Existe um meme que circula por esse mundão da internet que diz assim: “ou você é feliz ou faz dieta”. Concordo que comer é um dos maiores prazeres da vida, mas acredito que a autoestima é crucial para a felicidade. É preciso amor próprio.

dieta-carminha

Se você é feliz com o corpo que tem e comendo o que deseja, você deve fazer parte da minoria da população, segundo minhas estatísticas de achismo! Ouço, praticamente todos os dias, pessoas dizerem que não estão felizes com o seu corpo. E eu me incluía nesse grupo num certo período entre 2013 e 2015. Tinha chegado a um peso que meu corpo nunca tinha conhecido e isso estava me incomodando muito. Mas reclamar, reclamar e não fazer nada a respeito não adianta, né? “Um belo dia resolvi mudar”, como diria Rita Lee.

O primeiro passo foi tentar praticar corrida, ainda que sem ajuda profissional. Era uma atividade que já tinha tentado iniciar várias vezes, mas sempre desistia por algum motivo que camuflava a preguiça. Em agosto de 2015, comecei a tomar mais gosto pela corrida quando participei da minha primeira corrida de rua, proporcionada pela empresa na qual trabalho. Em outubro do mesmo ano, entrei na academia. Acho que esse foi o passo mais decisivo. Passei a frequentar a academia praticamente todos os dias, inclusive domingos e feriados (coisas que a Smart Fit nos proporciona!). Simultaneamente, comecei, por conta própria, uma discreta reeducação alimentar.

Com esse combo academia e alimentação saudável (ou menos porquinha!), cheguei em janeiro deste ano (2016) com praticamente todos os quilos indesejados perdidos. 😀 A vontade de continuar nesse novo estilo de vida só crescia. No mês seguinte, comecei mais duas atividades: sapateado e corrida, esta de forma regular e com acompanhamento profissional, da assessoria Hapvida +1K. E, pasmem, ambas GRATUITAS. Quando a gente tem um objetivo claro, desejo e determinação para alcançá-lo, caminhos não faltam!

Gente, preciso compartilhar com vocês: comecei a me ver com outros olhos no espelho. E comecei a amar isso! <3

gretchen-emocionada

Emocionada :~)

O mais recente passo que dei nesse processo, que deveria ou poderia ter sido um dos primeiros, foi agendar uma consulta com Nutricionista. A primeira consulta foi em julho – comecei a dieta no meio das minhas férias – e, nos primeiros 45 dias, consegui substituir 4% de gordura por massa magra na composição corporal. Imagina o tamanho da felicidade?

A rotina é difícil? Sim, não vou mentir. Acordo cedo de segunda a sábado, ando pra cima e baixo com minha lancheira, faço atividades todos os dias – às vezes duas por dia, chego em casa cansada e ainda tenho que arrumar tudo para o outro dia. Mas sabe o que é mais impressionante? É a capacidade das pessoas não apenas notarem a mudança, mas fazerem comentários desnecessários sobre uma decisão que EU tomei.

– “Nossa, você ‘tá’ magra demais. Come mais.”

– “Já ‘tá’ tão magrinha. Quer sumir?”

– “Dieta pra quê, se ‘vamo’ ‘tudo’ morrer?”

(…)

olhos-revirando

Eu não cheguei ao ponto de abdicar da pizza ou cervejinha com amigos. Também não julgo quem decide por abdicar ou quem come o que quer, se assim julgar melhor. Descobri que o segredo da minha autoestima e felicidade HOJE está no equilíbrio. No final das contas, além da saúde, o que importa é a autoestima. Então, SIM, SOU FELIZ FAZENDO DIETA. E muitas atividades \o/

E vocês podem conferir o resultado dessa minha descoberta na comparação abaixo entre uma foto de novembro/2014 e setembro/2016 😀

zilma-2014-2016

Nov/2014 x Set/2016

Tenho teoricamente tudo, mas não estou feliz. O que falta?

Tenho uma família, uma casa, um diploma, um emprego, um salário, amigos, algumas viagens. Não é a melhor casa do mundo, definitivamente não é o melhor salário do mundo e adoraria viajar mais sem sombra de dúvidas, mas é suficiente para muita gente se dizer feliz.

Tá certo que a vida não é sempre um mar de rosas ou um mar de chocolates ou um mar de ______________ (digite aqui do que gostaria que fosse feito o seu mar). Já falei em algum lugar, em algum dia da minha vida, que não acredito em gente “100%” feliz. Não gosto de extremos, nem de absolutos. Sempre tem alguma coisa ou acontecimento que entristece. Enquanto sua porcentagem de tempo em que está feliz continua com a média alta, acho que é super normal.

Mas então por que às vezes nos sentimos tão ansiosos para preencher itens, como se a vida tivesse uma checklist da felicidade? Tenho duas fortes suspeitas para comentar aqui.

  1. As pessoas se sentem confortáveis criando um padrão para tudo: da beleza à quantidade de filhos que você tem. O problema é que nem todos conseguem ou querem alcançar esse padrão. Atualmente, as mulheres são cobradas por terminarem uma faculdade, arrumarem um bom emprego, casarem e terem filhos, serem boas mães e boas donas de casa… Ufa! E tudo antes dos 30, enquanto ainda somos jovens, bonitas e temos muita disposição. Tudo isso vira uma autocobrança enorme, uma pressa de realizar que acaba tendo um custo alto para a nossa saúde emocional.
  2. Somos pessimistas e temos a mania de nos comparar apenas com quem já está onde queremos chegar, esquecendo que a maioria das pessoas talvez não tenha chegado lá ainda ou que mesmo as que chegaram talvez também não estejam felizes. A pressa para realizar tudo que deseja é tão grande que acabamos não identificando os sinais que a vida nos dá sobre os caminhos que devemos seguir.

ansiedade

E, mesmo sabendo disso, é muito difícil controlar nossos anseios e tristezas, né? Não existe uma receita para mudar isso, infelizmente, mas podemos compartilhar algumas dicas com vocês:

  • Procure não se balizar tanto pela vida dos outros, principalmente pelo que publicam nas redes sociais, onde a vida é quase sempre bela demais. Foque em encontrar seu próprio caminho.
  • Faça atividades que te proporcionem prazer e felicidade: correr, dançar, pedalar, ir à praia, ver filmes, ler, sair com amigos, tomar bons drinks etc. Assim, sua rotina será menos pesada.
  • Tome notas dos seus sentimentos, principalmente os negativos, pois externá-los ajuda a aliviar um pouco.
  • Por fim, não hesite em procurar a ajuda de um profissional, caso considere necessário. Psicólogo não é nenhum bicho de sete cabeças.

Fiquem bem. Beijos no coração 🙂

Levanta, sacode a poeira e dá a volta por cima

Não acredito que alguém possa ser feliz o dia todo, todo dia. Deve ser humanamente impossível. É claro que existem pessoas com mais facilidade de levar um vida leve, que já acordam de bom humor e não se deixam abater por qualquer ligação irritante de 20 minutos com a operadora de celular.

judite-tim

Judiiiiiiiiiite…

Em algum momento, nem que seja por minutos, temos nossos devaneios, tristezas, irritações, alguma coisa que nos tira do eixo. Eu me entrego: sou do time que oscila bastante o humor. Praticamente uma montanha russa de emoções.

Vivi uma sequência de acontecimentos que me tiraram a tranquilidade nos últimos dias: a Judite me deixou sem 3G por 5 dias e, a cada ligação, me dava uma informação diferente; aquele aplicativo de streaming de filmes, séries etc que a gente não vive mais sem não está salvando minhas configurações; o ferro de passar quebrou e por aí vai. Parece que os mundos eletroeletrônico e digital simplesmente se uniram contra mim. #dramaqueen

Ainda ontem não estava bem, mas fui dormir com o objetivo e a promessa de acordar bem hoje. E é por isso que estou aqui: pra contar pra vocês que consegui levantar mais cedo (me parabenizem!), olhar no espelho e dizer a mim mesma que hoje ia ser um ótimo dia. Me maquiei, vesti minha capa de superpoderes jaqueta e me dei carta branca para me sentir aquela diva-de-comercial-com-trilha-sonora-perfeita por um dia. Segura e dona de si.

A vida é assim mesmo: cheia de altos e baixos, avanços e paradas. O importante não é nunca cair, mas levantar sempre que cair. E cada um tem seu método de levantar: pode ser uma simples maquiagem, uma corrida para liberar as tensões, uma cervejinha com os amigos. Descubra o que te devolve o bem-estar e use essa arma sempre que precisar levantar o ânimo 🙂

proverbio-cair-sete-levantar-oito

“Caia sete vezes, levante oito.”