Tag: carreira

Bendito Canvas

Estava eu escrevendo um texto sobre o bendito Canvas para o meu trabalho e pensei: por que não compartilhar um pouquinho aqui no blog? Então, aqui estamos! Depois de mais de uma década crescendo, o número de mulheres empreendedoras finalmente se equiparou ao número de homens¹. Seja por ter menos oportunidades no mercado ou buscar uma maior flexibilidade de horários para conciliar a vida profissional com a pessoal, o fato é que nós estamos conseguindo estabelecer o nosso espaço no mercado de trabalho. E, para quem ainda não começou ou precisa de uma força para alavancar o próprio negócio ou a carreira, a utilização do Canvas é uma ótima dica. Homens, a dica vale para vocês também 😉

Você conhece o Business Model Canvas?

O Quadro de Modelo de Negócios, em português, é uma ferramenta idealizada para organizar, de forma simples e didática, o modelo de negócio de uma organização. Tudo em apenas uma folhinha de papel!

Essa ferramenta foi desenvolvida e descrita por Alexander Osterwalder & Yves Pigneur, com cocriação de uma “impressionante multidão de 470 profissionais de 45 países”, como está posto na própria capa do livro Business Model Generation – BMG (2010), Inovação em Modelos de Negócios em português. A partir do Canvas, os empresários e empreendedores podem enxergar com mais clareza como o seu negócio cria, entrega e captura valor.

O quadro é constituído por nove campos e a ordem lógica sugerida para a sua construção é esta:

  1. Segmentos de clientes
    Quem são os seus grupos de consumidores? Para quem você está criando valor?
  2. Proposta de valor
    Que valor(es) entregamos para satisfazer os desejos e necessidades dos clientes? Preço, desempenho, usabilidade?
  3. Canais
    Quais os canais de comunicação, distribuição e vendas?
  4. Relacionamento com os clientes
    Quais as estratégias de relacionamento para cada segmento de clientes?
  5. Fontes de receita
    Por quais valores os clientes estão dispostos a pagar? Quanto pagam, como pagam?
  6. Recursos principais
    Que recursos exigem a proposta de valor, os canais e o relacionamento com os clientes?
  7. Atividades-chave
    Que ações a proposta de valor, os canais e o relacionamento com os clientes requerem para levar a empresa ao sucesso?
  8. Parcerias principais
    Quais são os parceiros e fornecedores estratégicos para o sucesso da empresa?
  9. Estrutura de custo
    Quais são os custos fixos e variáveis mais importantes para o funcionamento da empresa?

Estas são apenas algumas das perguntas que podem direcionar o preenchimento do quadro. Olha a cara do Canvas aqui:

“Mas eu não tenho um negócio próprio para aplicar o Canvas e nem posso aplicar na empresa para a qual trabalho. Pra quê isso vai me servir?” Se você não pensa em abrir um negócio nem em um futuro tão-tão distante, ainda assim o Canvas pode ser útil pra você!

Em 2012, Tim Clark, com a colaboração de Alexander Osterwalder & Yves Pigneur e baseado no livro deles, publicou o livro Business Model You – BMY. Em português: O Modelo de Negócios Pessoal.

No Canvas Pessoal, você é o negócio! 

Um modelo de negócio pessoal é a lógica pela qual um indivíduo cria e fornece algo de valor para os clientes – e é pago por isso. Ele segue a mesma estrutura do BMG, porém as perguntas são readequadas para o novo propósito: satisfazer o meu, o seu, o nosso próprio desejo de auxiliar pessoas e ser recompensado por isso. Em função disso, a ordem lógica sugerida do preenchimento muda para:

  1. Recursos
    Quem é você e o que você tem?
  2. Atividades
    O que você faz?
  3. Clientes
    Quem você auxilia?
  4. Proposição de valor
    Como você auxilia seus clientes? Que benefícios e valores oferece a eles?
  5. Canais
    Como acontece a interação com os clientes? Como ou onde você entrega o seu serviço?
  6. Relacionamento
    Como você interage com seus clientes?
  7. Parcerias principais
    Quem oferece apoio na realização do seu trabalho?
  8. Fontes de receita
    O que você ganha (renda, benefícios tangíveis e intangíveis)?
  9. Estrutura de custos
    O que você oferece (tempo, energia, dinheiro) e que despesas tem para realizar seu trabalho?

Depois de montado o seu Canvas, você vai conseguir ter uma visão sistêmica do seu perfil profissional, facilitando a sua autogestão de competências técnicas e características comportamentais para trilhar a sua carreira.

Tanto para o BMG quando para o BMY, vale a definição de um período para uma avaliação do desempenho e implantação de correções, melhorias e atualizações necessárias para a sua contínua evolução.

DICAS

  • Imprima o quadro na maior folha que puder, facilitando a sua visualização
  • Utilize post its coloridos para te ajudar na organização das ideias

 

canvas-post-its

Então, mãos à obra? 🙂

¹Saiba mais sobre o empreendedorismo feminino em:
http://www.empreendedorismorosa.com.br/nossa-historia/
http://exame.abril.com.br/pme/noticias/empreendedorismo-feminino-aumenta-mais-de-20

http://www.brasil.gov.br/cidadania-e-justica/2015/03/brasileiras-apostam-no-empreendedorismo-para-vencer-no-mundo-dos-negocios

Mudança na carreira: Até Bruce Dickinson duvidou do próprio potencial

Bruce Dickinson do Iron Maiden

A falta de confiança e de ousadia para tentar construir uma nova carreira profissional pode acontecer com qualquer um, até mesmo com aqueles que já conseguiram enorme sucesso. Quem diria que Bruce Dickinson – vocalista de uma das maiores bandas de heavy metal do mundo, o Iron Maiden – se achava estúpido demais para pilotar um avião?

Mesmo gostando de aviões desde a infância, o vocalista achava que devia continuar focado em seu sucesso como rock star em vez de se aventurar por outros ares. Hoje, ele é piloto profissional da companhia Astraeus Airlines e pilota um Boeing 757 fretado nas turnês do Iron Maiden, levando toda a banda e equipamentos dos shows.

Confira a entrevista dele feita no Brasil em 2011 durante uma visita ao Museu TAM.

Buscar novas experiências, conversar com profissionais de áreas relacionadas à sua ou de áreas totalmente diferentes, fazer cursos de línguas, música… Nunca é tarde para experimentar tudo que puder e fazer uma mudança radical na carreira. Ou quem sabe ter duas carreiras, como Bruce Dickinson!