150793-OWXM6Y-527A primeira casa em que lembro ter morado era um apartamento de dois quartos em um prédio de propriedade da minha família. Nos apartamentos vizinhos, moravam os pais do meu pai: meus avós; minhas tias e tios; minhas primas e primos. No térreo, funcionava uma madereira, também de propriedade da família, onde passei boa parte da minha infância. Na calçada em frente, eu bricava de amarelinha, quando estava sozinha, e de futebol e luta, quando estava com meus primos. Adivinhem só: eu gostava de brincar sozinha!

Aos quatro anos, me mudei com meus pais para uma casa que meu pai construiu a meio quarteirão de distância daquele apartamento. Em 1996, essa casa recebeu um novo habitante: meu irmão. Por volta de 2010, meu pai decidiu reformar essa casa. Ele literalmente derrubou tudo e fez uma casa nova, onde moramos nesse momento, no qual escrevo esse texto. Isso levou mais ou menos dois anos e, durante a reforma, voltamos ao prédio onde morei primeiro, dessa vez no apartamento dos meus avós, que estavam morando em Horizonte (CE).

Quando eu era adolescente, sabia que queria morar sozinha. Sabia disso quando comecei a estagiar e ganhava R$450,00 por mês; quando fui efetivada no meu primeiro emprego; quando priorizei comprar um carro e depois trocá-lo por outro mais caro. Estou concluindo minha primeira década de vida e ainda sei que quero morar sozinha. A quantidade de vezes que acionei aplicativos de locação e venda de imóveis e os vários corretores que consultei são uma prova disso.

Hoje, ganho mais que R$450,00 mensais e meu carro está quitado. Meu irmão, quase nove anos mais novo que eu, já ultrapassou há algum tempo a maioridade. Aquela certeza que eu tinha de querer morar sozinha só cresce, como um pequeno sonho a ser realizado. Sempre que alguém me conta um sonho de vida eu pergunto: “o que você está fazendo para realizar esse sonho?”. Para realizar o meu, sondei com amigos a possibilidade de dividir um apartamento, mas é difícil alinhar ambições tão pessoais; calculei os custos de alugar um apartamento sozinha e dar entrada em uma casa própria. A resposta foi: nenhuma das anteriores!

Moro em uma vila de casas de propriedade da minha avó. Dela compramos a casa onde moro nesse momento. Meu pai é uma espécie de administrador. Além disso, faz reformas e tem esse hábito de construir casas. Bem ao lado desta de onde escrevo esse texto, ele resolveu construir uma casa nova para alugar. Todas as vezes que pensei em morar sozinha, tinha certeza que seria em outro lugar, outro bairro, longe daqui, mas adivinhem outra vez: essa localização está a 6 km do meu atual local de trabalho e o aluguel aqui é realmente acessível. Alugar essa casa, que ainda não tem uma porta, mas já tem luz, literal e metafórica, é minha mais nova atitude para realizar aquele pequeno sonho de morar sozinha.

Em breve, estarei morando em uma casa minha, tanto quanto foram as anteriores, mas ela será um pedacinho de sonho. Talvez, quando você estiver lendo esse texto, minha casa já tenha porta, e eu já esteja morando nela. Seria incrível, não?!

Existe uma dessas frases motivacionais que diz: “Comece onde você está, use o que você tem e faça o que você pode”. Acho que foi isso que eu fiz para ter meu pedacinho de sonho realizado e está dando certo e me trazendo um punhado de felicidade. Então, cumprindo meu papel de sempre perguntar sobre aquele sonho de vida, eu digo: O que você tem feito para realizar o seu?