Bem-vindo a Juárez, no México, onde corpos nus e mutilados são pendurados em via pública pelo cartel que domina o tráfico de drogas na região. Em Sicário – Terra de Ninguém (Sicario, 2015), Emily Blunt interpreta uma agente do FBI convidada a integrar uma missão especial do governo americano contra o tráfico de drogas. Em uma zona de guerra na fronteira entre Estados Unidos e México, ela é obrigada a lidar com conflitos éticos e morais ao se deparar com pessoas capazes de tudo para conseguir vencer a batalha.

Opinião – Contém spoilers do filme

Emily Blunt, que depois de se destacar como uma das assistentes de Miranda Pristley em O Diabo Veste Prada (2006) vem ganhando papéis cada vez mais desafiadores, é a atriz principal desse filme de ação/suspense dirigido pelo canadense Denis Villeneuve e foi indicada ao prêmio de melhor atriz no AACTA International Awards 2016 (o Oscar australiano). Para ser sincera, achei o papel fraco. A agente Kate Macer passa o filme inteiro completamente perdida em uma missão sobre a qual não sabe nada a não ser que está sendo usada pela CIA. A função da personagem é, basicamente, ficar indignada com as ações imorais praticadas pelo governo americano e ser totalmente impotente a respeito.

Emily_Tiro

Embora Kate seja evidentemente uma mulher forte, que não se deixa intimidar pelos homens que a cercam e luta pelos seus ideais, ela é, para mim, uma telespectadora da ação. Infelizmente, já que a Emily Blunt poderia ter sido muito melhor aproveitada no filme!

hora de conhecer Deus

hora de conhecer Deus

O destaque aqui vai para o lindo, maravilhoso e tudo de bom Benício Del Toro, indicado ao prêmio BAFTA de Cinema como melhor ator coadjuvante por esse filme. Ele é o contraponto de Emily. Enquanto ela é uma honesta agente do FBI tentando fazer a coisa certa, ele, embora atue do mesmo lado que a mocinha, age por motivações pessoais e busca vingança pela morte da esposa, decapitada, e da filha, jogada em um tanque de ácido. Com esses motivos, quem não gostaria de encontrar pessoalmente o barão do tráfico e atirar na cabeça dele?

O filme é agressivo, a Emily apanha, o Shane do The Walking Dead apanha e o Benício bate e atira em todo mundo, mas faz refletir sobre a máxima “os fins justificam os meios” e sobre a moral versus a sobrevivência. Na cena final, Alejandro, o personagem de Benício, diz a uma Kate de olho roxo: “You will not survive here. You are not a wolf and this is a land of wolves now” (Você não vai sobreviver aqui. Você não é um lobo e essa é uma terra de lobos agora). Ele dá a ela a chance de matá-lo e o que ela faz? Ela quase aproveita, mas a verdade é que algumas realidades precisam ser aceitas.

O filme também foi indicado ao Oscar de Melhor Fotografia, Melhor Edição de Som e Melhor Trilha Sonora Original e ao Palma de Ouro.

Sicario

 

  1. Sempre que acesso o Netflix, ele me sugere algo que, pelo meu comportamento no aplicativo ou pela necessidade do site em publicizar algo, pode ser de meu interesse. Tenho me desafiado a aceitar todas as sugestões, o que às vezes tem resultados felizes, às vezes tediosos e às vezes revoltantes.
  2. A palavra Sicário é descrita da seguinte forma no início do filme: “O termo Sicário vem dos zelotes de Jerusalém, matadores que caçavam romanos que invadiam sua terra-natal. No México, “Sicário” é matador de aluguel”.
Joga na rede!Share on FacebookTweet about this on TwitterEmail this to someone