Month: abril 2016

Desafio Netflix¹: Sicário² – Terra de Ninguém

Bem-vindo a Juárez, no México, onde corpos nus e mutilados são pendurados em via pública pelo cartel que domina o tráfico de drogas na região. Em Sicário – Terra de Ninguém (Sicario, 2015), Emily Blunt interpreta uma agente do FBI convidada a integrar uma missão especial do governo americano contra o tráfico de drogas. Em uma zona de guerra na fronteira entre Estados Unidos e México, ela é obrigada a lidar com conflitos éticos e morais ao se deparar com pessoas capazes de tudo para conseguir vencer a batalha.

Opinião – Contém spoilers do filme

Emily Blunt, que depois de se destacar como uma das assistentes de Miranda Pristley em O Diabo Veste Prada (2006) vem ganhando papéis cada vez mais desafiadores, é a atriz principal desse filme de ação/suspense dirigido pelo canadense Denis Villeneuve e foi indicada ao prêmio de melhor atriz no AACTA International Awards 2016 (o Oscar australiano). Para ser sincera, achei o papel fraco. A agente Kate Macer passa o filme inteiro completamente perdida em uma missão sobre a qual não sabe nada a não ser que está sendo usada pela CIA. A função da personagem é, basicamente, ficar indignada com as ações imorais praticadas pelo governo americano e ser totalmente impotente a respeito.

Emily_Tiro

Embora Kate seja evidentemente uma mulher forte, que não se deixa intimidar pelos homens que a cercam e luta pelos seus ideais, ela é, para mim, uma telespectadora da ação. Infelizmente, já que a Emily Blunt poderia ter sido muito melhor aproveitada no filme!

hora de conhecer Deus

hora de conhecer Deus

O destaque aqui vai para o lindo, maravilhoso e tudo de bom Benício Del Toro, indicado ao prêmio BAFTA de Cinema como melhor ator coadjuvante por esse filme. Ele é o contraponto de Emily. Enquanto ela é uma honesta agente do FBI tentando fazer a coisa certa, ele, embora atue do mesmo lado que a mocinha, age por motivações pessoais e busca vingança pela morte da esposa, decapitada, e da filha, jogada em um tanque de ácido. Com esses motivos, quem não gostaria de encontrar pessoalmente o barão do tráfico e atirar na cabeça dele?

O filme é agressivo, a Emily apanha, o Shane do The Walking Dead apanha e o Benício bate e atira em todo mundo, mas faz refletir sobre a máxima “os fins justificam os meios” e sobre a moral versus a sobrevivência. Na cena final, Alejandro, o personagem de Benício, diz a uma Kate de olho roxo: “You will not survive here. You are not a wolf and this is a land of wolves now” (Você não vai sobreviver aqui. Você não é um lobo e essa é uma terra de lobos agora). Ele dá a ela a chance de matá-lo e o que ela faz? Ela quase aproveita, mas a verdade é que algumas realidades precisam ser aceitas.

O filme também foi indicado ao Oscar de Melhor Fotografia, Melhor Edição de Som e Melhor Trilha Sonora Original e ao Palma de Ouro.

Sicario

 

  1. Sempre que acesso o Netflix, ele me sugere algo que, pelo meu comportamento no aplicativo ou pela necessidade do site em publicizar algo, pode ser de meu interesse. Tenho me desafiado a aceitar todas as sugestões, o que às vezes tem resultados felizes, às vezes tediosos e às vezes revoltantes.
  2. A palavra Sicário é descrita da seguinte forma no início do filme: “O termo Sicário vem dos zelotes de Jerusalém, matadores que caçavam romanos que invadiam sua terra-natal. No México, “Sicário” é matador de aluguel”.

Precisamos falar sobre BOTOX – parte 2 #FAIL

MINHAS AMIGAS E MEUS AMIGOS. Estou sem palavras para escrever esse post para vocês, mas vamos lá!

Para quem não leu o primeiro post sobre BOTOX, em resumo, foi o seguinte: fui à dermatologista me consultar sobre um problema nas unhas e acabei comentando sobre umas linhas de expressão que já me incomodam. E aí o Botox entrou na roda. Se tiver um tempinho, clica aqui e confere a história toda!

Pois, bem! Nas andanças da internet, pesquisando sobre o dito cujo, apareceu um produtinho chamado Instantly Ageless by Jeunesse, que promete fazer o efeito do Botox na hora, no caixa, sem burocracia, te deixando com a pele de pêssego por cerca de 8 horas. Vi alguns vídeos, resenhas e até a Adriane Galisteu dizendo que ama o produto. Aí pensei: tenho que comprar esse negócio e testar! Comprei um sachê no site Bella Lune e a entrega foi super rápida, com frete grátis. Mas agora o site está fora do ar :/

Esperei o momento ideal (aquele dia com olheiras e linhas mais marcadas) para fazer o teste, mas nem sempre a vida ajuda, não é, minha gente? E resolvi testar num dia comum. O resultado é: PLOFT! Não curti.

  1. A sensação é de estar passando cola branca na cara, porque o produto seca e repuxa um pouquinho a pele. Será que o Botox de verdade também fica com essa sensação? #estranho
  2. Não mudou praticamente nada. Não sei se eu não soube usar ou se não tenho linhas de expressão suficiente para ver o efeito. Tanto é que fiz meu primeiro vídeo para o blog, na tentativa de mostrar a ação do produto, e não rolou. HAHA #BIGFAIL
  3. Onde o produto é aplicado, a pele fica opaca. Onde o produto não é passado, fica com o brilho natural. Mas essa diferença é corrigida com a maquiagem. Ou seria! Porque…
  4. Fui tentar passar um BB Cream após o produto e também ficou um cocô 😀 O produto ficou descamando, parecia que minha pele estava descascando, mas era o produto saindo.

Mesmo assim, fica aqui o registro da tentativa do vídeo:

instantly-ageless

E deixo também um dos vídeos que vi, com o efeito “milagroso” do produto:

É fato que ameniza as linhas de expressão, notei ao fazer alguns movimentos no rosto. Mas, em geral, minha primeira experiência não foi feliz como eu esperava. Se você usou, curtiu e indica o produto, deixa o seu relato pra gente! Quem sabe eu tento outra vez.

7 lições que aprendi em 7 anos de trabalho

trabalho-em-equipe

Em 2016 eu completo 7 anos de trabalho e já posso compartilhar algumas lições que aprendi nesse tempo. Se você também já tem um tempo bom de profissão, pode se identificar com algumas dessas situações. Caso você esteja começando, leia tudo e tente aprender com os erros dos outros porque essa é a forma menos dolorida de aprender qualquer coisa nessa vida. Vamos lá!

1. Mesmo trabalhando para os outros, você é um empreendedor

Qualquer pessoa que esteja trabalhando em uma empresa privada não pode se considerar um simples funcionário, daquele tipo que está ali só fazendo o que lhe foi demandado. Além de você estar correndo o risco de perder seu emprego para qualquer um que simplesmente faça dois dedinhos a mais pela empresa, você ainda faz um trabalho pior por não se interessar pelo negócio em que você trabalha e conhecer pouco sobre ele. Quem tem uma postura de empreendedor, que busca saber mais sobre a empresa e sobre o mercado dela, entender como pode ajudar aquele negócio a crescer e de fato tenta se melhorar para isso, acaba se tornando mais necessário para a empresa. Portanto, tente se enxergar menos como funcionário e mais como empreendedor, como um consultor da empresa em que você trabalha e você se tornará um profissional melhor.

im-the-boss-gif-morgan-freeman

2. Aprender algo novo com frequência é essencial

Os comportamentos e as tecnologias estão mudando rápido e você não pode mais se dar ao luxo de fazer mais do mesmo. Vá nessa e você perderá o seu emprego em pouco tempo ou os seus clientes levarão o dinheiro para a concorrência em um piscar de olhos! Quando algo novo começa a ser falado, mesmo como uma realidade distante ainda, já comece a pesquisar sobre o assunto e tentar aprender, pois quando menos se espera, a inovação já chegou tomando o lugar daquilo que você faz hoje.

aprender

3. Vai ter gente te atrapalhando pelo caminho

Ah, o ser humano… Esse bichinho que quer ter muito fazendo pouco! Encontrei alguns desses que estavam dispostos a atrapalhar a minha caminhada. Uma hora ou outra você encontrará alguém que não quer você por perto ou que quer tomar crédito pelo seu trabalho. Então não pense que você é inteligente, tem um diploma e por isso vai ser fácil. Você sempre estará andando em um tapete sendo puxado dos dois lados e tem que ter equilíbrio pra se manter em cima, como nessa brincadeira do programa do Silvio Santos nos anos 90.

4. Cair na zona de conforto (e estagnação) é muito fácil

Em algum momento você se vê em uma empresa ou setor que te deixa confortável. Você está fazendo o que sabe fazer de melhor, está ganhando um salário que te deixa satisfeito no momento e assim os dias vão passando, os anos vão passando e você não vê as mudanças chegando. Um belo dia você se dará conta de que está desatualizado do mercado e precisa levantar a bunda e sair correndo a maratona de São Silvestre pra ontem. E eu te garanto que isso não é bom! Portanto, procure novos desafios de vez em quando, nem que seja realizando um trabalho paralelo no seu tempo livre, criando um pequeno negócio com um amigo ou sempre fazendo cursos novos pra estar em contato com novas pessoas e ideias.

lazy_cat

5. Não confie os seus sonhos profissionais inteiramente ao negócio dos outros

Se você tem um sonho profissional, se quer crescer em uma determinada área e fazer sempre melhor o seu trabalho, não fique esperando que a empresa que você trabalha se alinhe com o seu sonho. Os melhores profissionais têm esse pensamento de ver a empresa crescer graças ao seu trabalho, mas nem sempre o dono e o funcionário acreditam na mesma estratégia de crescimento ou têm os mesmos valores. É bonito acreditar que todos que trabalham no mesmo negócio compartilham os mesmos valores, mas na prática isso não é 100% verdade. Se isso acontece com você, se planeje para mudar logo de empresa ou abra o seu próprio negócio.

tumblr_lnruuly6eQ1qakh43o1_500

6. Trabalhar com quem sabe mais que você é essencial nos primeiros anos de profissão

Mesmo que a proposta salarial seja boa, não vale a pena desperdiçar os primeiros anos de profissão, aqueles em que você precisa aprender o máximo que puder, trabalhando sozinho, sem ter com quem compartilhar as suas ideias e o conhecimento que você adquiriu estudando. Ter contato com quem sabe mais que você, que pode te orientar e fazer as suas ideias evoluírem e virarem realidade é essencial nesse começo, muito mais do que dinheiro. Se você está sozinho no seu setor, acaba se desmotivando mais facilmente, seus parâmetros de qualidade do próprio trabalho caem e começarão a aparecer os problemas decorrentes da solidão profissional. Vão achar que é você que é preguiçoso, que trabalha mal porque não tem concorrência ou coisas do tipo, mas na verdade você está sofrendo de solidão profissional.

XOn3Clj

7. Trabalhar com pessoas que buscam o melhor faz você se manter motivado

Evite o máximo que puder trabalhar com quem gosta de fazer gambiarra ou se conforma em fazer mais do mesmo. Em pouco tempo os clientes vão perceber que a vida dele não está melhorando com o produto ou serviço que a sua empresa vende para ele, as reclamações vão chegar e você se sentirá desmotivado. Os elogios só chegam para quem faz bem feito! Então preserve o seu nome, pois como eu disse no começo desse post, você tem que se ver como empreendedor e seu nome no mercado é valioso pra o seu sucesso no futuro. Junte-se com quem quer fazer direito, bem feito e sempre buscando o novo. O sucesso estará perto desse tipo de profissional!

say my name

E aí, se identificou com alguma dessas lições? Conta pra nós aqui nos comentários!

Os 5 melhores canais do YouTube – Escolhas da Lahisla

youtube

A minha diversão já tinha uns 50%  de Internet no final dos anos 90, quando a Internet ainda era discada e tinha este barulhinho mágico ao conectar:

Hoje posso dizer que 99% do meu entretenimento é composto de músicas, vídeos, filmes, textos e tudo mais que houver na Internet, principalmente da Netflix e do YouTube. Todos os dias eu tenho um feed bem extenso de vídeos dos meus canais favoritos e resolvi compartilhar com vocês os meus 5 preferidos. Vamos lá!

1. Petit Comitê

Eu já disse em algum post aqui no blog que eu sou muito fã da Julia Petit desde os tempos do Orkut, que eu tinha uma comunidade pra ela lá. Mas o melhor é que a Internet evoluiu, a banda larga chegou e a Julia agora tem dois canais no YouTube: um sobre maquiagem e outro de entrevistas e perguntas e respostas. Adoro as opiniões dela e os entrevistados, que quase sempre têm a ver com o trabalho da Julia no portal Petiscos, incluindo moda, beleza, cinema e música. Vale a pena dar uma olhada!

2. Danielle Noce

Comida! Esse é o tema dos vídeos do canal da Danielle Noce. Ela ensina receitas deliciosas, a maioria de sobremesas deliciosas. Fora isso, o cenário e todos os utensílios de cozinha são tão fofos que dá gosto de ver. A minha próxima aventura na cozinha vai ser a receita de chantilly que eu vi no canal.

3. Jovem Nerd

O Jovem Nerd e o Azaghal falam sobre o universo nerd, ciência, cinema e viagens com aquele toque de humor (às vezes humor negro) que eu adoro. O Sr. K é outro personagem que eu adoro e tem uma série de vídeos no canal do Jovem Nerd também. Adoro!

4. Nerdologia

Eu sou uma cientista enrustida com toda certeza. Adoro vídeos de ciência e o Nerdologia mistura universo nerd e ciência como nenhum outro. Além disso, a edição dos vídeos é muito boa, ilustrando cada detalhe que o biólogo Atila Iamarino fala.

5. JoutJout Prazer

A JoutJout (ou Julia) fala sobre todos os assuntos possíveis e imagináveis, da quantidade ideal de papel para enxugar as mãos até HIV, tudo com o jeito bem expressivo e diferentão de falar dela. Sabe aquele sincerão que você gostaria de mandar pra muita gente e não tem coragem? A JoutJout manda por você.

E você, quais são os seus canais favoritos?

Unhas: Qual o formato das suas?

Há alguns dias, vi a foto das unhas de uma amiga e achei que elas estavam lindas, não pela cor, mas pelo formato redondinho. Pensei com meus botões: na próxima vez que fizer as unhas, vou arredondar as pontas também, e foi o que eu fiz. Olha só minhas unhas em formato oval.

Minhas Unhas

Ainda não me acostumei com o resultado, mas a mudança me fez pensar sobre uma coisa com a qual eu nunca me importei: o formato. E não é que cada um deles pode fazer a diferença? Oval, quadrado, com os cantos arredondados, redondo, pontiagudo… Escolha o melhor formato para as suas.

Quadradas

unhas-quadradasNo salão, o formato mais pedido é o quadrado, mas ele é indicado apenas para quem tem as unhas fortes já que é mais fácil bater e lascar os cantos. É o formato ideal para quem tiver os dedos finos e longos, como os meus. Infelizmente, minhas unhas são fraquinhas como papel e acabo sofrendo as consequências negativas de manter o formato quadrado, por isso, até hoje, sempre usei as unhas quadradas com os cantos arredondados.

Quadradas arredondadas

quadrada redondaA diferença pode ser bem sutil, mas é capaz de garantir alguns dias a mais de durabilidade. Esse formato continua garantindo o equilíbrio para as mãos de dedos finos e compridos. Para fazer, deixe as unhas quadradinhas e, no final, passe a lixa delicadamente nos cantos para deixá-los arredondados.

Stiletto

stilettoPara quem quer deixar os dedos mais finos e alongados, a unha pontiaguda pode ser uma opção, mas ele exige bastante resistência e ousadia! Unhas frágeis não sustentam esse formato que faz sucesso entre as celebridades. Se as suas estão fortes e compridas e você quer experimentar, lixe-as na diagonal e finalize arredondando a ponta.

Redondas

unhas-ombré-15Considero esse o formato mais fácil de fazer sozinha, já que basta acompanhar o formato natural. Como as minhas são mais frágeis, sempre que uma quebra, acabo apelando para esse formato que é excelente para unhas curtas. Elas dificilmente vão te dar trabalho, além de serem discretas e combinarem com tudo. A dica para conseguir o efeito é cortar as duas pontinhas da unha na diagonal e lixar até ficar redonda.

Ovais

ovalA diferença desse formato para o redondo está nas laterais das unhas, pelas quais você deve começar o trabalho. Lixe da lateral até o topo das unhas de forma angulada, mas cuidado para não deixá-las tortas. A unhas ficará mais delicada e, para as compridas, com maior durabilidade. O formato empresta a tal delicadeza para mãos pequenas e gordinhas.

 

A partir de agora, vou considerar mais do que apenas a cor do esmalte. E você?

Tenho teoricamente tudo, mas não estou feliz. O que falta?

Tenho uma família, uma casa, um diploma, um emprego, um salário, amigos, algumas viagens. Não é a melhor casa do mundo, definitivamente não é o melhor salário do mundo e adoraria viajar mais sem sombra de dúvidas, mas é suficiente para muita gente se dizer feliz.

Tá certo que a vida não é sempre um mar de rosas ou um mar de chocolates ou um mar de ______________ (digite aqui do que gostaria que fosse feito o seu mar). Já falei em algum lugar, em algum dia da minha vida, que não acredito em gente “100%” feliz. Não gosto de extremos, nem de absolutos. Sempre tem alguma coisa ou acontecimento que entristece. Enquanto sua porcentagem de tempo em que está feliz continua com a média alta, acho que é super normal.

Mas então por que às vezes nos sentimos tão ansiosos para preencher itens, como se a vida tivesse uma checklist da felicidade? Tenho duas fortes suspeitas para comentar aqui.

  1. As pessoas se sentem confortáveis criando um padrão para tudo: da beleza à quantidade de filhos que você tem. O problema é que nem todos conseguem ou querem alcançar esse padrão. Atualmente, as mulheres são cobradas por terminarem uma faculdade, arrumarem um bom emprego, casarem e terem filhos, serem boas mães e boas donas de casa… Ufa! E tudo antes dos 30, enquanto ainda somos jovens, bonitas e temos muita disposição. Tudo isso vira uma autocobrança enorme, uma pressa de realizar que acaba tendo um custo alto para a nossa saúde emocional.
  2. Somos pessimistas e temos a mania de nos comparar apenas com quem já está onde queremos chegar, esquecendo que a maioria das pessoas talvez não tenha chegado lá ainda ou que mesmo as que chegaram talvez também não estejam felizes. A pressa para realizar tudo que deseja é tão grande que acabamos não identificando os sinais que a vida nos dá sobre os caminhos que devemos seguir.

ansiedade

E, mesmo sabendo disso, é muito difícil controlar nossos anseios e tristezas, né? Não existe uma receita para mudar isso, infelizmente, mas podemos compartilhar algumas dicas com vocês:

  • Procure não se balizar tanto pela vida dos outros, principalmente pelo que publicam nas redes sociais, onde a vida é quase sempre bela demais. Foque em encontrar seu próprio caminho.
  • Faça atividades que te proporcionem prazer e felicidade: correr, dançar, pedalar, ir à praia, ver filmes, ler, sair com amigos, tomar bons drinks etc. Assim, sua rotina será menos pesada.
  • Tome notas dos seus sentimentos, principalmente os negativos, pois externá-los ajuda a aliviar um pouco.
  • Por fim, não hesite em procurar a ajuda de um profissional, caso considere necessário. Psicólogo não é nenhum bicho de sete cabeças.

Fiquem bem. Beijos no coração 🙂