O que Bob Esponja ensina sobre trabalho

Bob Esponja no trabalho

Bob Esponja é um dos melhores desenhos animados que eu já vi, mas um episódio me chamou atenção pela lição que pode dar sobre trabalho: o Bem vindo ao Balde de Lixo (Welcome to the Chum Bucket). Nesse episódio, o Sr. Sirigueijo, patrão do Bob Esponja no Siri Cascudo, perde o contrato dele no jogo de cartas para o Plâncton, seu concorrente e dono da lanchonete Balde de Lixo.

Uma das características do Bob Esponja, que eu acho interessantíssima para o público do desenho, é amar trabalhar e acordar feliz de manhã por ter que ir ao Siri Cascudo fazer o famoso hambúrguer de siri que ele faz como ninguém. Todo mês, ele é o funcionário do mês. Mas, nesse episódio, ele não tem escolha e terá que trabalhar na lanchonete concorrente.

O seu novo patrão fica muito feliz, pois agora têm o “segredo” do sucesso do concorrente. Essa consciência de que o sucesso da empresa são as pessoas ainda é o que falta em muita empresa de verdade.

Bob Esponja robôApesar de ter o Bob Esponja trabalhando para ele, o Plâncton simplesmente não consegue extrair do novo funcionário o excelente trabalho que ele fazia na empresa concorrente. Todo o estímulo e alegria que o Bob Esponja tinha no Siri Cascudo não acontece no Balde de Lixo e, em tentativas desesperadas, Plâncton o agrada de todas as maneiras: dá comida, diversão, presentes, muda todos os itens da cozinha de lugar… Nada adianta, nem mesmo roubar o cérebro (leia-se “conhecimento”) do Bob Esponja e colocar em um robô. O segredo do sucesso não estava nem mesmo no conhecimento, mas na atitude positiva que o Bob Esponja tinha em relação ao Siri Cascudo, ao seu patrão Sr. Sirigueijo e ao seu colega Lula Molusco.

Bob Esponja e PlânctonSem entender o que acontecia com Bob Esponja, Plâncton se irrita e diz: “Mas eu não entendo. Você tem a chapa, a espátula e a cadeira confortável. E eu limpei os seus pés!”. E, então, numa das cenas que eu mais gosto do episódio, Bob Esponja vê o luminoso da cozinha do Balde de Lixo e com uma expressão triste diz: “O luminoso diz ‘cozinha’, mas meu coração diz ‘prisão’.”

Então, como o Sr. Sirigueijo consegue fazer do Bob Esponja o segredo do seu sucesso mesmo sendo tão pão duro? Para quem assiste o desenho, é fácil responder: o segredo está no patrão que valoriza o funcionário e reconhece que precisa dele para ter sucesso, mesmo sem pagar um salário alto e dar mil vantagens.

Às vezes, uma empresa pode perder seu melhor funcionário pelo simples fato de não ouvi-lo e de não fazê-lo sentir que suas ideias e opiniões têm valor. O dinheiro é muito importante, mas, para os seus melhores colaboradores, ele pode estar em segundo lugar.

Joga na rede!Share on FacebookTweet about this on TwitterEmail this to someone

1 Comment

  1. Confesso que não sou fã de Bob Esponja (ele e o Patrick me dão a maior agonia pela lentidão!), mas, trabalhando há algum tempo com comunicação interna, sempre vizinha aos setores de RH e com a difícil missão de trazer esse valor que vai além do monetário para os colaboradores, não posso deixar de concordar com tudo.

    Vou até procurar esse episódio para me inspirar um pouquinho!

Deixe uma resposta

Your email address will not be published.

*